Buscar

Kettlebell Sport. Leve a sério! By Lindolfo Neto

#chaleirapracima #netokettlebellteam #nkt #kgb #kgbteam #kettlebellsport #kettlebellsportbrasil #wksfbrasil #atletadekettlebell #kettlebell #hardstyle #girevoysport #16kg #24kg #32kg #treinosério #atletadeeliete #altorendimento #coach #melhordobrasil


Bom... vou falar o que penso sobre o crescimento do Kettlebell Sport aqui no Brasil.

É só a minha opinião.


Lindolfo Neto no Campeonato Mundial de Kettlebell Sport em Vanzaghello (Milão), Itália. Campeão Mundial no Biathlon Amador (24kg).


Eu fui formado em uma universidade que preza pela ciência, eu sei a importância e o lugar que ela tem dentro do meio esportivo, mas para a divulgação e promoção do esporte ela é uma parte bem pequena diante de tantas outras coisas.


Para começar, a maior parte do atletas competidores de Kettlebell Sport do país são profissionais de Educação Física que entraram na modalidade por conhecer a ferramenta.


De cara isso já não traduz uma realidade porque um esporte popular é praticado competitivamente por infinitos grupos de pessoas, e na maioria pessoas que nem estão ligadas à área da Educação Física.


Levar o Kettlebell Sport para as universidades é importante apenas para o conhecimento dos alunos de uma nova modalidade. Poderia ser o biribol ou o lacrosse também. Isso não traz uma visibilidade significativa para o Kettlebell Sport, porém é importante essa ação desde que de forma consciente quanto àquilo o que ela representa.


Eu sou de acordo sobre os cursos, eu acho que quanto mais melhor sim, porque o nível do cara que dá um curso pode ser ruim, mas pessoas vão conhecer e procurar entender o esporte mais a fundo e aí sim vão encontrar boas fontes.


Ou o LPO só tem um número gigantesco de amantes aqui no Brasil porque todo mundo fez curso só com o Dragos??


Não!!


As pessoas davam curso, angariavam praticantes e entusiastas, e isso ia ficando cada vez maior porque um fala pro outro e o outro fala pro um.


Então, minha opinião sobre cursos para a promoção do Kettlebell Sport é: quanto mais melhor, se um cara ruim der o curso, aí o aluno que teve curso com ele vai descobrir que não foi bom, seja indo em competições e se fu#@&%o, seja vendo que seus resultados são ruins, tanto faz.



Curso prático de kettlebell sport ou demonstração em ambiente acadêmico?


Em uma escala de curso acadêmico versus curso prático, eu acho que o curso prático divulga bem melhor o esporte.

Mas isso também não é nem de perto o que se precisa para o Kettlebell Sport ser popular.


Precisa-se de mídia, televisão, jornal, revista, redes sociais, youtube...


Mas para isso precisa ser expoente lá fora, precisa de um World Games (parece que vai rolar), um projeto olímpico forte (também parece que começou algo).



Atleta Catarinense cadeirante no treino de Long Cycle. Coach Nicole Zaniz.


Precisa de atletas que fazem coisas absurdas, aqui no Brasil também, precisa desafiar outras modalidades, precisa acreditar que o atleta de Kettlebell Sport é melhor q o atleta de LPO nas capacidades físicas, ou melhor que o de atletismo, ou que o de calistenia.


E se não for acreditar nisso, tem que pelo menos fingir que acredita (mas fingir bem). Foi assim que o jiu jitsu se popularizou no Brasil (mostrando, se gabando etc).


Às vezes, pra fazer barulho, é necessário deixar a humildade um pouco de lado. Tem que provocar, tem que postar em rede social, tem que fazer evento em lugar público.


Claudio Novelli, Ana Lucia Novelli e Camila Grans em demonstração do kettlebell sport em 2013, no Standa da Labrada Nutrition, na Expo Nutrition realizada no Pavilhão da Expo Center Norte.

Aí entro em outro ponto: tem que fazer evento, tem que querer fazer evento, tem que querer que o evento aconteça.


Você não quer organizar evento?

Tudo bem não tem problema.


Hoje no Brasil já tem um grupo de pessoas bem especializadas nisso, mas você tem que ir competir, prestigiar.


Organização de eventos: uma constante para o atleta, técnico e professor Lindolfo Neto.

Vai perder o final de semana com a família? Vai.


Vai gastar dinheiro? Vai.


Vai fazer 12h de viagem de busão pra ir na sexta e mais 12h pra voltar no sábado depois do evento? Vai.


Mas se quiser que o esporte aconteça, tem que ir lá e fazer.


Não adianta o brother fazer o evento lá no Rio Grande do Sul e você achar que vai ser um bom evento só com alunos de dois boxes de crossfit da cidade. Não vai ser!


Tem que ir a galera do sul, do sudeste e se der até do centro oeste sim!


O brother vai fazer evento no nordeste? Tem que ir a galera do nordeste todo, do centro oeste se rolar, do norte...


Open Solidário em Pernambuco - 2019

"Ah, mas eu não tenho dinheiro..."


E eu também não!


Moro em São Paulo. Vou para os eventos no sul de busão. Saio sexta à noite, durmo no busão, compito no sábado e volto depois do evento dormindo também.


Gasto só a passagem e a inscrição. Se tudo der 200 Reais é muito!


E 200 reais são 2 finais de semana que o cara almoça e janta em casa ao invés de ir pro shopping ou pra balada.


O que eu quero dizer é que tem que fazer acontecer, tem que correr atrás...


Não adianta pegar um kettlebell de 16kg e treinar 10x1min de jerk a vida toda. Tenho certeza de que treinando 2 ou 3x por semana todo mundo consegue boas marcas com 24kg.


Tem que tornar a coisa competitiva. Isso chama a mídia: fazer barulho.




Depois disso, quando tiver estruturado, aí entra a parte acadêmica, com recursos e ciência...


Não vou nem falar de um ponto que é a estrutura do Kettlebell Sport que deixa ele pouco emocionante, mas outros esportes também não são e tão aí na mídia.


Quer levar o Kettlebell Sport pra algum lugar?


Leva pra escola, ensino fundamental, ensino médio, leva pras comunidades carentes... e coloca a molecada menor de idade competindo, isso também dá visibilidade!


Kettlebell Sport infantil. Se criança pode carregar mochila pesada de qualquer jeito todos os dias, podem sim treinar força e competir de forma saudável e bem orientada.


Só fazer publicações e publicações não leva a nada, principalmente antes disso tudo aí.


Essa é minha opinião.


Foi mal pelo desabafo, mas eu fico meio irritado com algumas coisas principalmente porque vivo esse esporte de alma e coração.


Ah e só mais uma coisa... tem que falar que o Kettlebell Sport é melhor que hardstyle sim, porque é.


Hardstyle é ruim. Minha opinião de novo.


Currículo do autor


Nome: Lindolfo Neto

Idade: 25 anos

Estado: São Paulo

Bacharel em Esporte USP

Pós graduando em Aprendizagem Motora USP

Resultados expressivos:

- Campeão Mundial 2018 (Milão-ITA)

- Vice Campeão Mundial Iron Man Bolt Kettlebell 2018 (São Paulo - BR)

- Campeão Latino Americano 2018 (Rio de Janeiro-BR)

- Campeão Latino Americano 2017 (Viña del Mar-CHI)

- Campeão Mundial Bolt Kettlebell 2017 (São Paulo-BR)

- Campeão etapa GP Mundial 2016 (Salvador-BR)

- Campeão etapa GP mundial 2015 (Curitiba-BR)

- Tetra Campeão Brasileiro (2014/15/16/17)

- Multi campeão regional (SP/DF/PR/RS/SC)

- Integrante selecão Brasileira 2018

- atleta CMS - Candidate for Master of Sport

- detentor dos recordes na categoria de peso corporal 70kg

- Um dos únicos atletas brasileiros a competir na categoria profissional (2 kettlebells de 32kg)

77 visualizações

©2018 by KGB KETTLEBELL GIREVOY BRASIL. Proudly created with Wix.com