Buscar

DESAFIO KGB 2019 REPETIÇÕES!

#desafio #desafioextremo #desafiokgb2018 #2019reps #kettlebellsport #chaleirapracima #partiuinsanidade #kgb #kettleblog #girevoysport #kettlebellmarathon #maratonakettlebell #todomundolouco #resiliencia #partiudesafio #benvindo2019


Este post fala sobre a importância de se propor a um desafio extremo, coisa que vemos ou ouvimos falar de tempos em tempos.


Já é nossa conhecida a frase “Não sabendo que era impossível, foi lá e fez”. Desconheço a autoria, mas já virou realidade.


Algumas atividades físicas foram elevadas ao estágio de desafio mental, como a preparação e participação em provas de IronMan, um triathlon de natação em águas abertas - 4km; ciclismo em estrada - 180km; corrida - 42km.


No particularmente caro IronMan, destacam-se vários empresários e executivos de alto escalão. Alguns desses figurões têm incluído a logomarca da prova em seus cartões de visita, remetendo a um senso geral de extrema organização, disciplina, comprometimento, e alta produção.


Em suma, alto desempenho ou alta performance corporativa como reflexo da esportiva.


Isso se repete em qualquer outro esporte, inclusive no nosso amado Kettlebell Sport.


Pois bem... seguindo a “brincadeira” sugerida por atletas suecos de Kettlebell Sport, especialmente o ícone Per Olhans, a KGB lançou o desafio para celebração do Ano Novo: realizar 2019 levantamentos da chaleira em uma tacada só.


As regras:


- carga escolhida e alterada para mais ou para menos durante o desafio, seguindo o conceito de "challege by choice" - escolha o quanto se desafiar;

- pausas a gosto do freguês para descanso e reidratação;

- número ilimitado de trocas de mão.


Enfim, teve gente que até tomou uma chuveirada no meio do desafio.


Os levantamentos em si também foram flexibilizados.


Foram aceitos os clássicos Jerk, Snatch, e Long Cycle, além de shoulder press, push press, clean, e swing.


O que se percebe em um desafio extremo como esse, de fazer 2019 repetições seguidas de levantamento de peso:


“Um desafio extremo derruba qualquer máscara, e mostra a você quem você realmente é.”


Bonito de falar, não é? Te desafio a falar isso agora mesmo, em voz alta:


“Um desafio extremo derruba qualquer máscara, e mostra a você quem você realmente é.”


E nessa queda das máscaras, sentimos a expansão da nossa Zona de Conforto. Claro como água da fonte em cada depoimento. Em cada centímetro quadrado da nossa pele. Em cada veia, artéria, músculo, neurônio e qualquer outra célula que passou de Conforto a Desafio e chegou mesmo ao Pânico.


O sentimento geral é que as temidas Provas Clássicas de 10min, antes quase impensáveis, se tornaram um treino super prazeroso.


Esse desafio extremo em Kettlebell Sport contou uma verdade interna clara a nós mesmos.


Olhamos nossos medos e dores face a face.


Lutamos contra o tédio.


Entendemos nossas falhas estratégicas.


Vemos qual é nosso lugar no mundo.


Um desafio extremo mostra o quanto devemos ser responsáveis por nós mesmos, por nossos amigos, clientes e alunos.


Mostra o quanto que companheirismo, apoio, torcida e sorrisos podem nos levar mais longe, muito além de nossos bloqueios mentais.


Cada grito de incentivo parece ser um terceiro braço no revezamento de mãos para subir o peso.


Vemos nosso melhor aflorar durante nosso pior.


Percebemos os pontos falhos da nossa movimentação técnica e nossos erros em aplicação de princípios da física newtoniana, a biomecânica impiedosa no levantamento de pesos.


Em troca, somos presenteados com uma absurda melhora nos fundamentos, e com rotas mais eficazes conforme o cansaço se instalava.


E no final das contas, SUCESSO! O tão almejado sucesso. Esse é o sentimento que resume esse desafio que partiu de uma brincadeira.


Somamos 33 pessoas que se propuseram a encarar esse desafio de demanda excruciante, para em troca recebermos nada além de boas energias, de sinceros “parabéns!”


E foi sensacional! Simplesmente demais!


Vimos pura camaradagem, apoio mútuo, celebração do esporte e da vida entre os desafiantes.


Ninguém quis mostrar o quanto era fodão, pica das galáxias, autoridade no assunto... até porque isso seria de uma arrogância atroz.


O Kettlebell Sport nos faz humildes, sempre sob a carga das chaleiras de ferro.



Para saber como foi, veja os participantes e seus números... tudo detalhado na primeira tabela, e bem resumido logo em seguida:


Tabela Geral do Desafio KGB 2018. #chaleirapracima #2019reps

Para efeito de cálculo do Trabalho, foi considerado um coeficiente igual a 0,5 para o gesto “swing”, 1,0 para todos os demais one-arm, e 2,0 para qualquer gesto two-arm.


Quatro iniciantes realizaram de 500 a 800 reps.

Os demais 29 desafiantes completaram as 2019 reps propostas.


A matemática do Desafio KGB 2018:


* 61.171 repetições em diferentes fundamentos.


* 634.181 kg.m de Trabalho (T). Trabalho = distância x peso. Assumi uma distância de 0,5m para swing, 1m para Jerk e Long Cycle, e snatch.

Ou seja, entre aspas, foram levantadas mais de 634 toneladas de peso!!


* Trabalho médio de 19.218 kg.m por desafiante, com desvio padrão de 11.381,64 kg.m neste item. Como a carga era opcional (“challenge by choice”), foram utilizados kettlebells de 4kg a 20kg, daí o desvio padrão tão amplo.


* Média 19 toneladas.m de Trabalho por desafiante. Destaque para Izack Martins (PB), que atingiu 40.380 kg.m de Trabalho. Ergueu mais de 40 toneladas sozinho!


* 69,03h acumuladas de atividade física. Se cada desafiante iniciasse sua atividade ao término do seguinte, seriam quase três dias seguidos de chaleira pra cima sem parar!


* Média de 2,16h para a conclusão das 2019reps, com desvio padrão de 0,81h.


* Densidade (T/h) média de execução do desafio igual a 9.017,18 kg.m/h. Significa que cada um levantou em média 9 Ton/h - Nove Toneladas de Chaleira por Hora - com um desvio padrão de 4.762,13 kg.m/h.


* A maior densidade de execução cabe ao atleta que executou o maior Trabalho Físico em menor tempo.

Ninguém menos que o grande Leonel Mota Ribas (SP) encabeçou a lista, atingindo impressionantes 18.250 kg.m/h. Ou seja, ele levantou 18 toneladas de chaleira por hora!

O dobro da média dos desafiantes.


Para efeitos de competição, talvez o dado mais relevante da tabela seja exatamente a densidade de Trabalho.

Isso revela quanta potência o atleta é capaz de produzir por unidade de tempo.


E é por isso que a programação de treino no Kettlebell Sport se baseia em rpm (Repetições Por Minuto).

Quanto maior o rpm, maior o volume total por unidade de tempo, maior a densidade, mais apto fisicamente o atleta.


Abaixo, segue o resumo matemático geral, dos que completaram, e dos que fizeram parcialmente o Desafio KGB 2018.



Resumo Desafio KGB 2018: Geral, Desafios Completos, Desafios Parciais


E no final das contas, o que cada desafiante ganhou?


Bom, cada um ganhou largos passos no caminho para busca de superação, autoconhecimento, expansão da zona de conforto, resiliência, processamento do tédio e da dor.


Rompendo a inércia ou buscando um recorde pessoal, aprendemos todos uma lição valiosa, inexorável para este mero autor.


Esse desafio KGB de 2018, que celebrou a chegada do ano de 2019 com um igual número de repetições, foi feito pela busca de alegria, de conquistas, de aprendizado, de união, de paz com os adversários de plataforma e com os adversários internos.


Que bela revirada de gaveta!


Ego... esse aí foi colocado para dormir por muito tempo.


E que venha mais conhecimento, mais suor, mais luta interna, mais torcida, mais desafios, mais esporte, mais kettlebell!


Que venha o desafio de Ano Novo em dezembro/2019.... serão 2020 repetições :)


Desafie-se também.

Tenho certeza de que pode chegar muito mais longe do que pensa.


#chaleirapracima


Prof. Claudio Novelli.

CREF 35.496/G-SP

0 visualização

©2018 by KGB KETTLEBELL GIREVOY BRASIL. Proudly created with Wix.com